Sem categoria

O DJ e o Mercado de Trabalho

A figura do DJ vem ganhando cada vez mais espaço nos últimos anos, tanto em eventos realizados em casas noturnas como também em outros eventos em geral, como festas e casamentos. O DJ não é mais um simples amante da música ou colecionador de discos, pois esse profissional assumiu também o papel de lançador de tendências, músicas e também moda. Levando isso em conta, é essencial saber como anda o mercado de trabalho para DJ. É comum que muitas empresas aliem o seu nome ao de um DJ ou evento de música eletrônica, com o intuito de agregar valor à marca. Entretanto, quem quer saber como anda o mercado de trabalho para DJ pode ficar otimista: o mercado para DJs não para de crescer no Brasil e no mundo.

O DJ brasileiro é cada vez mais respeitado no exterior por causa da nossa herança musical e multicultural, o que possibilita o desenvolvimento de trabalhos diferenciados, criativos e originais. Atuar como DJ também se tornou uma função bastante concorrida, já que apesar de trabalhar na noite ser o desejo de muita gente, para conseguir o seu lugar no mercado é preciso investir na carreira, em bons equipamentos e muita dedicação.

Com o passar do tempo e o desenvolvimento da tecnologia, os equipamentos para trabalhar com música eletrônica ficaram mais sofisticados. A prática era mais complicada antigamente, pois era necessário tocar com vinil, e os equipamentos eram encontrados somente em São Paulo ou por importação. Atualmente, há várias opções, como MP3, rádio, e principalmente a internet. Quando lançam uma música na Europa, por exemplo, já é possível tocar no Brasil também instantaneamente.

Além do fácil acesso às músicas, as casas noturnas são obrigadas a proporcionar aos DJs os equipamentos necessários para suas apresentações. Por causa dessa facilidade de acesso e do controle dos equipamentos, a concorrência da profissão no mercado de trabalho aumentou.

Em janeiro de 2009 foi aprovada a lei que regulamenta a profissão de DJ na categoria de Artistas e Técnicos em Espetáculos e Diversão. De acordo com o projeto, para obter o registro profissional de DJ, válido em todo território nacional, é preciso apresentar junto à Delegacia Regional do Trabalho do Ministério do Trabalho o diploma de curso profissionalizante reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) ou pelo sindicato da categoria. Também existe a possibilidade de apresentar o atestado de capacitação profissional fornecido pelo sindicato da categoria. Os DJs estrangeiros são dispensados dessas exigências, desde que permaneçam até o máximo de 60 dias no Brasil.

Apesar do grande acesso à informação, muita gente ainda acredita que o profissional que comanda os equipamentos de som só precisa apertar ao play,mas não é bem assim. Comandar equipamentos de som, atrair todos os olhares e entreter a pista de dança parece pura diversão, porém, é preciso muito mais que isso. Para se tornar um bom DJ e chegar a tal ponto, deve-se ter paciência, curiosidade e investir em qualificação e equipamentos.

Ao conhecer o mercado de trabalho para DJ, é mais fácil ter sucesso na cena de e-music.

Foto: DJ @djbobguima


A História do Carnaval!

carnaval é uma festa popular que surgiu ainda na Antiguidade com intuito de celebrar os deuses pagãos e a natureza. Foi reconhecida pela igreja e incluída no calendário cristão depois de muitos séculos, ainda hoje é comemorada no mundo inteiro. Possui características diferentes em cada país que o festeja.

O carnaval comemorado no Brasil sofreu influência de uma festa de rua, de origem portuguesa, o entrudo, que consistia em jogar farinha, ovo e tinta nas pessoas. Porém, a comemoração também passou por mudanças por causa do folclore indígena e a cultura africana, trazida pelos escravos. Todos esses fatores culturais construíram um carnaval distinto em cada parte do Brasil. O Rio de Janeiro é famoso pelos desfiles das escolas de samba, na Bahia os trios elétricos atraem milhões de foliões todos os anos e em outros estados, como Pernambuco e Minas Gerais, o carnaval de rua é o mais popular.

Existem outras formas tradicionais de passar o carnaval, que é a última festa antes da quaresma. No século XIII, os nobres franceses começaram a promover grandes festas onde era obrigatório o uso de máscaras e roupas luxuosas – os bailes – e provavelmente foi assim que surgiram as primeiras festas à fantasia. Essas festas logo ficaram populares entre as altas classes em toda Europa e se espalharam por todo o mundo, sendo comuns atualmente.

Origem do Carnaval

A origem do carnaval é incerta, mas acredita-se que tenha surgido na Grécia por volta do ano 520 a.C. Era uma festa em que o vinho era fundamental e as pessoas se reuniam em nome do deus Dionísio com a única intenção de se divertirem, celebrar a chegada da primavera e a fertilidade. Esse tipo de comemoração se tornou popular em Roma durante os primeiros séculos da era cristã.

O nome Carnaval vem de “Carne Vale”, seu significado está ligado ao fato dessa festa pagã acontecer durante os três dias que antecedem a quaresma, um longo período de privação, portanto era como uma despedida dos pecados da carne. Esse nome surgiu depois que a celebração foi legalizada pela Igreja Católica para coibir o que a instituição classificava como celebração pecaminosa. Ou seja, a celebração tinha como objetivo principal extravasar e fazer tudo que durante a quaresma era proibido.

Em 1545, depois do concílio de Trento, mudou-se o calendário de Juliano para Gregoriano e o Carnaval passou a ser uma data oficial para os cristãos. Dessa forma, é reconhecida como festa popular de rua que sofreu uma série de modificações culturais até chegar aos dias de hoje.

Como é calculado o dia do carnaval?

Esse cálculo foi estipulado para que não houvesse coincidência com o dia da Páscoa Católica e para que essa ela não ocorresse no mesmo dia da Páscoa Judaica. Assim, ela começa com o equinócio de primavera, no hemisfério norte, a partir dele é preciso saber em qual dia será a primeira lua cheia, pois a páscoa é comemorada exatamente no domingo depois dessa lua. Ou seja, sabe-se que a terça-feira de carnaval é aquela que antecede a Páscoa em 47 dias. No Brasil, a data é comemorada no outono, então começa a contar a partir do dia 21 de março, dia do equinócio no hemisfério sul.

Festas de Carnaval pelo Mundo

O carnaval é uma festa que está arraigada na cultura ocidental e por isso é comemorada em todo o mundo, porém em algumas cidades turísticas ela se destaca e tem uma maior visibilidade. São elas: Rio de Janeiro, Nova Orleans, Veneza e Paris.

Carnaval no Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, um dos mais famosos do Brasil, é grande o apelo popular dos desfiles das escolas de samba de diversas regiões da cidade, principalmente das periferias, que todos os anos competem em desfiles monumentais, ao som dos sambas enredo. No sambódromo da Marquês de Sapucaí, projetado pelo famoso arquiteto Oscar Niemeyer e inaugurado na década de 80. Nesses desfiles, cada escola de samba tem que trabalhar um tema e cada ala desfila obedecendo a esse determinado tema.

Carnaval em Nova Orleans

Em Nova Orleans, nos EUA, a festa carnavalesca é chamada de Mardi Gras por influência dos franceses que colonizaram a região no século XVII e levaram a tradição do carnaval. Hoje, trata-se de uma festa de rua que acontece no feriado da terça-feira gorda. As tradicionais bandas sempre desfilam nas ruas da cidade acompanhada de foliões fantasiados usando colares de continha e máscaras, que são as marcas registradas do carnaval de Nova Orleans.

Carnaval em Veneza

O Carnaval de Veneza é o mais tradicional do mundo, tem sua origem no final da Idade Média, quando a cidade crescia por ter se tornado um centro comercial que ligava o Oriente e o resto da Europa. Várias culturas influenciaram os festejos na cidade. Mas foi no século XVII, que os integrantes da nobreza veneziana, vestindo-se com trajes luxuosos, adornavam-se com máscaras venezianas e chapéus para se misturarem ao povo nas ruas e também para ir aos bailes. As máscaras nobres são famosas ainda hoje no mundo inteiro e nunca deixaram de ser usadas na tradicional festa da Cidade, que começa dez dias antes da quarta-feira de cinzas. As pessoas costumam se divertir na Praça de São Marcos, a mais famosa, onde se reúnem pessoas do mundo inteiro.

Carnaval em Paris

Em Paris, o carnaval não tem mais a mesma importância que Máscara Carnavaltinha no passado, porém foi lá que surgiram os primeiros bailes à fantasia. A festa sempre foi mais elitizada do que em outros lugares do mundo. No século XIX, a burguesia ascendente viu nos grandes eventos carnavalescos oportunidade de tratar de negócios e, por isso eles tinham interesse em patrocinar esses bailes. O carnaval parisiense tem, então, uma característica mais cívica do que popular, pois atualmente as festas são organizadas para certos grupos e associações e, dessa forma, não é costume dos parisienses irem às ruas fazer folia.

A ideia dos bailes de carnaval é originária da França, com os nobres; era uma alternativa para festejar a data sem ir às ruas. No período renascentista na Europa, surgiu um tipo de teatro chamado Commedia dell’ arte, tinha um estilo popularesco e personagens típicos que exerceram muita influência nas fantasias carnavalesca a partir desse período, ainda são muito comuns, como a colombina e o pierrô. O uso de máscaras e roupas para caracterizar esses personagens tão caricatos infiltrou-se na cultura europeia e também foi importado para o Brasil no século XIX. Nos carnavais contemporâneos, as mesmas fantasias ainda fazem muito sucesso nesses festejos.

Carnaval no Brasil

O Carnaval continua sendo uma data celebrada em todo o mundo. Em alguns países, a tradição resistiu e em outros, enfraqueceu-se; porém, não desapareceu. Em várias partes do mundo, o carnaval reflete os conceitos de sua origem, uma festa onde as pessoas buscam se satisfazer e perder a identidade, por um dia que seja, mas reflete principalmente a cultura de um povo, suas crenças e folclores.

Em cada lugar, há um ritmo e estilo de fazer a folia. No Pernambuco, é possível perceber que a forma mais festejada é ir para rua fantasiado, ao som do frevo, dança típica da região, que surgiu no final do século XIX. Inspirado nas músicas das bandinhas militares e nos maxixes importados da Europa, tem um ritmo acelerado e cativante que praticamente chama o ouvinte a dançar. O frevo é também uma dança. Com uma sombrinha colorida, os dançarinos fazem acrobacias e passos que lembram as danças folclóricas indígenas.

Já na Bahia, muitas pessoas vão às ruas acompanhar os trios elétricos, onde cantam as grandes estrelas do axé. O axé music tem sua origem em uma mistura de estilos musicais como o frevo, o pop rock, o maracatu e até reggae. Esse estilo musical surgiu na década de 80 e vem se tornando muito popular desde então. Há na verdade uma verdadeira indústria por trás do carnaval. Vários setores aquecem a economia da cidade nesta época do ano como os hotéis em Salvador, que apresentam preços ainda mais caros, a venda de abadás para os famosos blocos e a venda de cervejas e bebidas.

No Rio de Janeiro, o samba e os desfiles, televisionados todos os anos, são extremamente populares. O Samba é um estilo musical que deriva de uma mistura das música africanas e portuguesas. Inicialmente era feita nas favelas, onde viviam a população mais pobre, descendentes de escravos, e tinha, como tema, o cotidiano nesses lugares, relações amorosas etc. O samba ficou muito conhecido em meados do século XX e deu origem às marchinhas de carnaval, até hoje muito populares. Durante o carnaval a Cidade Maravilhosa recebe ainda mais turistas e os hotéis no Rio de Janeiro costumam apresentar preços elevados, por isso é recomendável se planejar com antecedência para evitar gastos maiores do que o esperado.

No Brasil, portanto, cada região tem uma tradição para comemorar essa data. O carnaval aqui é um dos mais importantes feriados do ano, atrai milhares de turistas estrangeiros e nativos, movimentando a economia e estimulando a perpetuação da cultura de Norte a Sul do país.

História do Carnaval no Brasil

O carnaval chegou ao Brasil à partir do século XIII, quando os portugueses trouxeram a brincadeira do entrudo, típica da região de Açores e Cabo Verde, que consistia em um jogo em que as pessoas sujavam umas às outras com tintas, farinha, ovos e também atiravam água.

No século XIX foram promovidos os bailes parisienses, nos quais os convidados deveriam usar máscaras. Cresceu o interesse por esse tipo de festa porque o entrudo causava muita confusão por ser uma prática que apelava para violência. Nos bailes, que aconteciam em local fechado, o público era composto por convidados que se dispunham a fantasiar-se e ouvir música. Uma figura importante desse período é Chiquinha Gonzaga que compôs músicas de carnaval e pertencia a esse grupo de classe burguesa frequentadora dos bailes.

No Rio de Janeiro, século XX, surgiram as primeiras escolas de samba. No final da década de 1920, os desfiles agradaram muito a população e tornou-se uma forma popular de comemoração do carnaval ainda muito forte, tanto no Rio, quanto em São Paulo. No Nordeste do país o jeito mais popular de passar o carnaval é ir para as ruas, mantendo um pouco da tradição trazida pelos portugueses. Na Bahia, mais especificamente manteve-se o costume do carnaval de rua, mas fortaleceu-se os trios elétricos depois da década de 1980.

Vai pular carnaval?? Confira as makes, inspire-se e curta a festa!!!


MAQUIAGEM DE NATAL: 4 SUGESTÕES PARA COMBINAR COM QUALQUER TIPO DE CEIA E FESTA

A maquiagem para a ceia de Natal é uma das mais glamourosas e especiais, até mesmo para quem prefere produções simples ou sem muitos detalhes. Apesar de ser um evento clássico, o Natal é comemorado de várias formas em cada família: reuniões com parentes distantes, com os mais íntimos ou com a família do namorado, além de ceia com os amigos e até mesmo uma festa divertida com todo mundo reunido! Para isso, a maquiagem precisa acompanhar cada estilo, mas alguns detalhes curingas podem ser usados em todas as festas. Inspire-se e escolha a sua!

Os clássicos batons vermelho e vinho são curingas para qualquer festa

Vermelho é, sem dúvidas, a cara do Natal! Seja na ceia do dia 24 ou no tradicional almoço do dia 25, o batom vermelho cai super bem em qualquer estilo de festa. Assim como ele, o tom de vinho e ameixa também é uma boa opção, e o acabamento matte é o mais indicado para durar a festa inteira. Nos olhos, as mais discretas podem lançar mão da máscara de cílios ou do delineado fininho, enquanto quem prefere um make mais intensa e sofisticada pode combinar com sombra dourada, laranja ou marrom.

Batons rosa e coral deixam a maquiagem de Natal mais divertida

Que tal fazer a make de Natal com as cores de batom que estão em alta no momento? O rosa pink e o coral são opções que deixam a produção mais “fresh”, principalmente por ser uma época de calor, em pleno verão brasileiro. Além disso, elas garantem um toque de cor em qualquer tipo de festa, desde as ceias tradicionais, em família, até reuniões descontraídas no almoço do dia 25 de dezembro. A dica é apostar nos tons de rosa e laranja que mais harmonizam com o tom de pele, para não criar um constraste exagerado no look.

Olho esfumado é versátil em qualquer tipo de festa de Natal

Seja qual for a festa de Natal, um olho bem esfumado também vai deixar a make mais sofisticada, e a dica é escolher a cor que mais combina com o tipo de festa. Se a ceia for uma reunião sofisticada, que irá reunir a família inteira, vale apostar em esfumados escuros, feitos com sombra preta e vinho, combinadas com tons elegantes como dourado e bronze, que dão um “glow” a mais no olhar. Se a ceia for mais intimista e com os parentes mais chegados, vale apostar em esfumados mais simples, com sombra marrom ou e um toque de brilho no cantinho interno dos olhos. Já para o almoço do dia seguinte, o “smokey eye” em tom alaranjado cai super bem durante o dia, já que entrega um toque de frescor ao mesmo tempo que marca bem os olhos.

Máscara de cílios e delineado gatinho são curingas

Outro detalhe que cai super bem em qualquer evento de Natal são os olhos marcados de máscara e o delineado gatinho. Seja qual for o tipo de reunião, a máscara de cílios é indispensável para levantar o olhar e deixá-lo mais brilhante, enquanto o delineador é a chave para olhos mais extensos e cheios de poder. Para quem gosta de makes mais simples e minimalistas, vale apostar no delineado sem sombra nas pálpebras, e arrematar o olhar com a máscara. Já para criar um look mais sofisticado, vale aplicar um toque de sombra brilhosa por cima do delineado ou fazer um traço gatinho bem extenso.


NOVA BOUTIQUE DA CHANEL EM ROMA

“A primeira boutique da Chanel em Roma foi reaberta na última quinta-feira (12), depois de ser completamente renovada e reformada. Quem assinou o projeto foi o norte-americano Peter Marino, de Nova York, que transformou os 350 metros quadrados da loja em um modelo inspirado no apartamento de Paris da estilista Coco Chanel.

Desde as cores icônicas, os toques de preto, branco e dourado, à combinação de tecidos de seda e lã trançada, aos inconfundíveis móveis de tweed, passando pelo pavimento de mármore, sob tapetes de cores claras, tudo foi baseado na residência parisiense da estilista.

Localizada na Via del Babuino, a boutique tem duas entradas: de um lado, o universo da moda, apresentando bolsas, sapatos, acessórios, prêt-à-porter e todas as criações da Chanel pelo designer alemão Karl Lagerfeld, diretor criativo da marca; de outro, o universos dos perfumes, maquiagens e cosméticos. ”

Fonte: ISTO É e ANSA


Tendências de Looks de Noivas para 2019

Mais contemporâneos, os modelos estão cada vez menos caretas, com propostas em outras cores além do branco, sem véu e grinalda e até em peças que não são vestidos. Os looks, no entanto, passam longe da simplicidade, apresentado modelagens impecáveis e detalhes luxuosos. Confira o que vai estar em alta nas próximas temporadas.