amor próprio

5 Formas de trabalhar sua autoestima e se amar mais

O que é autoestima?

Como mencionado no início do artigo, autoestima é a estima que uma pessoa tem por si mesma. É comum vermos pessoas associando o conceito a aspectos estéticos e, embora de alguma forma isso envolva a aparência, autoestima vai muito além disso. Se amar é mais do que se achar bonito, significa se gostar por inteiro, se sentir capaz, inteligente, ter orgulho de ser quem é.

Vale ressaltar que autoestima é diferente de autossuficiência, de se achar superior aos demais, simplesmente porque se trata de uma questão pessoal, interna, que nada tem a ver com os outros. Além do mais, ter autoestima não significa fechar os olhos para os pontos que precisa desenvolver e sim reconhecê-los sem se achar inferior por conta disso.

Existem pessoas que acham que quem tem autoestima elevada fecha os olhos para o que precisa melhorar e isso não é verdade, pois o efeito é totalmente o contrário. É exatamente o fato de um indivíduo se amar que irá estimulá-lo a evoluir cada vez mais, porque é isso o que o amor faz, ele transforma, empodera, promove a evolução.

Por que a autoestima é importante?

Quando um desafio surge na vida de uma pessoa, o primeiro fator que a empurra para superá-lo é o fato de ela acreditar que pode conseguir. Afinal, se ela achar que não tem nenhuma chance, provavelmente não irá se sentir motivada a tomar qualquer atitude. Esse é um dos motivos pelos quais a autoestima é fundamental, ela é nosso combustível para agir.

Outro fator que mostra a importância da autoestima está ligado ao relacionamento interno, à forma como você mantém um diálogo consigo mesmo. Pessoas com a autoestima elevada são mais gentis consigo mesmas e evitam se martirizar pela culpa, elas preferem utilizar seus erros como fontes de aprendizado para evoluírem e fazerem diferente em vez de se vitimizarem e permanecerem inertes.

Assim como nos relacionamos com amigos e familiares, o mesmo acontece em relação a nós mesmos. O diálogo que tem mentalmente com a sua própria consciência é um tipo de relacionamento que precisa ser cuidado e que deve ser harmonioso. Quando você não consegue manter uma conexão positiva consigo mesmo, isso acaba influenciando as conexões com todos à sua volta.

Por tudo isso, se gostar e ser feliz sendo quem você é, com suas qualidades e pontos a desenvolver, é fundamental para uma vida plena. Isso não significa que não irá passar por problemas e sim que irá enfrentá-los de maneira confiante, o que faz toda a diferença nos resultados.

5 Formas de trabalhar sua autoestima e se amar mais

Agora que você já sabe o que é autoestima e qual a sua importância, veja algumas formas de trabalhar a sua e se amar mais.

1 – Reconheça suas qualidades

O primeiro passo a ser dado é reconhecer as suas qualidades e se valorizar. Se não fizer isso de forma consciente, inconscientemente irá dar mais ênfase para os pontos em que não é tão bom assim, o que irá prejudicar sua autoestima. Se desejar, registre as qualidades que for identificando, assim, irá torná-las cada vez mais vivas em sua mente, fortalecendo a sua autoconfiança.

2 – Evite se comparar com os outros

A comparação é um terreno perigoso e injusto, porque faz com que se compare com indivíduos que possuem uma trajetória totalmente diferente da sua e crie uma ideia equivocada de inferioridade e incapacidade. Sendo assim, tenha a consciência de que cada ser é único e que só deve se comparar consigo mesmo, a fim de constatar o caminho percorrido pelo seu eu do passado até chegar ao presente.

3 – Se cuide para você e não pelos outros

Autoestima e autocuidado andam lado a lado, mas é importante deixar alguns pontos claros. O primeiro deles é que esse autocuidado não inclui apenas medidas estéticas, mas também mentais, emocionais e espirituais. Além disso, é fundamental que faça isso sempre pensando no seu bem-estar e não em fazer o que todos estão fazendo ou tentar ser aceito por determinado grupo e se encaixar em um padrão.

4 – Imponha limites nas relações

Autoestima também envolve impor limites nas relações, afinal, não é porque ama muito uma pessoa que deverá a se submeter a todas as vontades dela. Reconheça os seus limites e deixe-os bem claros para as pessoas com as quais se relaciona. E faça isso sem medo, pois aquelas que te amarem verdadeiramente saberão respeitar as suas condições, assim como você também deverá respeitar as delas.

5 – Entenda que os erros fazem parte da vida

Por último, mas não menos importante, é preciso que entenda que os erros fazem parte da vida e que errar não anula todas as qualidades que possui. Procure sempre fazer o seu melhor, mas, caso venha a falhar, olhe para a situação com a cabeça erguida, sem se julgar ou se culpar. Faça o que for possível para consertar o ocorrido ou, pelo menos, reduzir os danos, reveja os pontos que poderia ter feito diferente e siga adiante.

Nós nos esforçamos para manter bons relacionamentos com todos ao nosso redor e, muitas vezes, deixamos de cuidar da nossa relação interna. Se você se identifica com isso, saiba que sempre é tempo de mudar e evoluir. Se ouça, se observe, se cuide com carinho, assim, irá fortalecer sua autoestima e se tornar uma pessoa cada vez melhor, para você e para o mundo.


Especial mulher, você!

Especial mulher, você!

Muitas mulheres são bonitas…
És a mais linda
Muitas mulheres são brilhantes…
És meu diamante
Muitas mulheres têm sorriso bonito…
Teu sorriso vem da alma
Muitas mulheres têm uma voz bonita…
A tua é doce, tênue e gostosa de ouvir
Muitas mulheres falam de amor,
Você é o amor tão falado
Muitas mulheres venceram batalhas…
És guerreira mestra nesta arte
Muitas mulheres tiram lágrimas…
Você as enxuga com delicadeza
Muitas mulheres se acham maravilhosas…
Você é a mais rara das belezas
Muitas mulheres têm ação…
És pura e verdadeira ação
Muitas mulheres são valiosas…
Você é a mais bela das jóias.


MULHER MODERNA

Qual a posição da mulher moderna na nossa sociedade

Essa é uma discussão que atrai os mais diversos olhares. Debater a posição da mulher, desde o surgimento da sociedade, é um assunto extremamente polêmico, isso devido ao fato das inúmeras submissões que as mulheres eram submetidas, unicamente em razão do sexo.

Infelizmente, por muito tempo as mulheres sofreram com o patriarcalismo (e ainda sofrem por conta de seus reflexos). O patriarcado sugere uma “hierarquia”, que primeiro foi exercida sobre os escravos, e depois passou a ser exercida sobre a relação homem x mulher.

A discriminação biológica se caracterizou no momento em que o homem objetificou a mulher e criou uma hierarquia imaginária que até hoje afeta a nossa sociedade. Essa figura hierárquica se relaciona ao “dominus” que é o domínio exercido pelo homem sobre a mulher.

Através da figura do domínio, as mulheres foram privadas de sua autonomia, e consequentemente de todos os seus direitos sociais e políticos. Com a figura do domínio já estabelecida, a desigualdade se instaurou, e as mulheres começaram a ser submetidas a controles sociais. Esses controles compreendiam:

  • Controle doméstico: as mulheres deveriam servir e obedecer aos pais, e depois de casadas, esse encargo era repassado para a vida conjugal, sendo responsabilidade da esposa servir seu marido. O controle doméstico diz respeito até mesmo ao controle dos desejos sexuais, que obrigavam as mulheres a ter relações sexuais mesmo se não quisessem.
  • Controle ao mercado de trabalho: as mulheres eram privadas de trabalhar fora de casa, “servindo” apenas para cuidar dos filhos e da casa, dando a ideia de que essa obrigação era exclusiva e inerente às mulheres.
  • Controle ao acesso a locais públicos: as mulheres eram privadas de todas as liberdades, inclusive a de ir e vir. Em alguns locais era proibido o acesso das mulheres, como por exemplo, escolas, e locais destinados à discussão de políticas públicas, por exemplo. Esse controle se perfez até o surgimento da CF/88.

Por estarem submetidas a esses controles por tanto tempo, as mulheres já não questionam mais seus direitos e liberdades.

Este cenário começou a mudar somente quando entraram em cena as guerras. Era muito comum que os homens que saíssem para guerrear não voltassem, deixando seu trabalho para trás, e também a administração da própria vida, que seguia mesmo sem eles. Com esse fato, as mulheres precisavam assumir o controle deixado pelos maridos mortos, e assim se iniciou um processo de redescoberta da sua importância na sociedade.

Ocupar um lugar que nunca fora alcançado ensejou nessas mulheres sede de justiça, e começaram a entender que juntas elas poderiam ir mais longe. E foi assim, que no final do século XIX se iniciou na Europa o chamado “MOVIMENTO FEMINISTA”.

O movimento feminista foi difundido através de três grandes ondas, as quais as mulheres decidiram colocar em pauta assuntos jamais abordados.

  • PRIMEIRA ONDA FEMINISTA, por volta do ano de 1913, que teve como principal questionamento o direito ao voto.
  • SEGUNDA ONDA FEMINISTA, nessa onda as mulheres evidenciaram o domínio entre homem e mulher, questionando esse comportamento, bem como a divisão de tarefas e responsabilidades exclusivas das mulheres. A diferença salarial, a autonomia sexual, a violência doméstica, e todas as opressões sofridas foram escrachadas, e as mulheres cada vez mais tinham vontade de ser livres e independentes, principalmente no que tangia à sua sexualidade.
  • TERCEIRA ONDA FEMINISTA, em meados de 1980, que já não tinha como objetivo lutar por um direito específico, e sim cobrar das autoridades e do poder público que novas discussões pudessem ser sempre colocadas em pauta, mostrando que as mulheres não se “acomodaram” somente com as conquistas anteriores. Mesmo com tanta luta, o sexismo continuava acontecendo.

O direito da mulher pela busca de sua autonomia e liberdade até hoje encontra dificuldade na sua compreensão, e na forma que ele é exposto. As raízes patriarcais da nossa sociedade restringem as mulheres de falarem sobre alguns assuntos, como o caso da sexualidade. Como dito acima, por muito tempo o direito sexual das mulheres era decidido pelo homem, e a mulher era obrigada a fazer o que ele queria.

Atualmente a posição da mulher moderna deve ser uma posição de luta, e de exigir respeito.

Muitas mulheres ainda se sentem coagidas ao falarem de alguns assuntos, e a masturbação é um deles. Um assunto tão comum e popularizado entre homens, que quando abordado por mulheres atrai diversos olhares maliciosos e maldosos.

A luta que devemos sempre evidenciar é a luta por respeito e igualdade, sem a banalização de assuntos tão importantes, que dizem respeito inclusive à nossa saúde.


Para todas as mulheres!

Para todas as mulheres.
A mulher torna-se encantadora pela sua inteligência,bom humor,elegância e feminilidade.
Elas chamam a atenção pela sua motivação, por estarem de bem com suas emoções e com a vida. O maior atrativo de uma mulher é quando ela se sente bem consigo mesma, independente das medidas “corretas” impostas pela sociedade. A mulher que se ama é notável por onde ela passa.
Todas as mulheres possuem, uma beleza exclusiva. Cuide bem dela, aprecie as suas formas. Não importa se você tem cabelo, curto, comprido, loiro, escuro ou com marcas do tempo. Estes detalhes, com o passar dos dias, acabam moldando-se para lhe deixar sempre bela na medida que você vai ganhando experiência.
Aceite a condição que o tempo lhe trouxe. Tente registrar os seus melhores momentos: Fotografe, guarde as lembranças que o tempo irá levar. Lá no futuro você olhará o quão bela você foi e o quão bela ainda é.
Não esqueça de conservar a sua alegria e doçura. Cuide do seu corpo, mas não menospreze a sua alma, assim você sempre manterá a sua beleza.


AMOR PRÓPRIO

Decidi hoje
Que não vou mais sofrer de amor
Nem de dor
Nem de nada
Decidi hoje que eu me amo
Acima de tudo, de todos e de qualquer coisa

Decidi que vou fazer amor comigo
E me apaixonar por mim mesma
Antes de decidir qualquer outra coisa nessa vida
Por que já levei tanto tombo
Que aprendi a gostar da dor de cair

Decidi por mim mesma
Me amar mais
Me desejar mais
Me acarinhar mais
Por que tem dias que ninguém vai fazer isso por mim
E eu tenho boas mãos
Posso me virar sozinha

Eu tenho pés para ir
E tenho carona pra voltar
Tenho coragem de decidir
E lágrimas para chorar

Não preciso que ninguém me diga sim
O não já me pertence e eu posso aceitar
O que eu preciso é me dizer sim
E me abraçar
E dançar
E extravazar
Eu decidi hoje
Que a partir de amanhã
Não vou mais parar

Vani Boza


Como se divertir com as Crianças: 5 dicas para um dia perfeito

 

1. Café da manhã divertido
Para começar o dia com o pé direito, que tal um café da manhã diferente? Vocês podem inovar nos quitutes, deixando tudo muito mais colorido e divertido! Melhor ainda se vocês prepararem juntos. E que tal comer no quintal, como em um piquenique? Aqui vão duas dicas de receitinhas fáceis, coloridas e saborosas para esse café da manhã especial:

Panqueca colorida com as crianças
Rolinhos saborosos e nutritivos
2. Hora do karaokê!
Depois do café, que tal animar a casa com um show daqueles? Vocês podem escolher as músicas favoritas de vocês para cantarem juntos, como em um verdadeiro karaokê! Aproveitem, arrastem o sofá e já façam uma pista de dança da sala. Com certeza a diversão em família estará garantida!

3. Cozinhando em família
Depois de cantar, dançar e se divertir tanto, provavelmente a fome vai bater… Aí que tal voltarem juntos para cozinha para preparar aquele prato favorito? Cozinhar junto com as crianças é uma ótima oportunidade de passar importantes lições aos pequenos, além de ser um delicioso momento em família.

Confira 4 receitas para fazer em família
Hambúrguer vegetariano: 3 receitas para fazer em casa com os pequenos
Receitas divertidas para fazer com as crianças
4. Sessão cineminha
Para deixar a tarde deste dia especial ainda melhor, que tal preparar aquela seleção de filmes que vocês adoram? Apaguem as luzes, preparem a pipoca e dêem o play na sessão cinema!

20 filmes infantis para assistir em família
12 dicas de filmes para assistir em família
8 filmes brasileiros inspirados em livros infantis
4 filmes emocionantes sobre pais e filhos que você deveria assistir
5. Acampamento na sala
Para encerrar esse dia, nada melhor do que um acampamento… na sala! Levem as cobertas, colchões e travesseiros e montem um verdadeiro acampamento, com lanternas e tudo o que tiver direito. E, claro, não deixem de levar os livros favoritos do pequeno para aquela história antes de dormir!

Um feliz dia das crianças a todos os pequenos leitores! <3


8 de março – Dia Internacional da Mulher

O Dia Internacional da Mulher é uma data comemorativa que foi oficializada pela Organização das Nações Unidas na década de 1970. Essa data simboliza a luta histórica das mulheres para terem suas condições equiparadas às dos homens. Inicialmente, essa data remetia à reivindicação por igualdade salarial, mas, atualmente, simboliza a luta das mulheres não apenas contra a desigualdade salarial, mas também contra o machismo e a violência.

Acesse também: Feminismo no Brasil – a evolução desse movimento em nosso país

História do Dia Internacional da Mulher
O Dia Internacional da Mulher existe, enquanto data comemorativa, como resultado da luta das mulheres por meio de manifestações, greves, comitês etc. Essa mobilização política, ao longo do século XX, deu importância para o 8 de março como um momento de reflexão e de luta. A construção dessa data está relacionada a uma sucessão de acontecimentos.

Uma primeira história que ficou muito conhecida como fundadora desse dia narra que, em 8 de março de 1857, 129 operárias morreram carbonizadas em um incêndio ocorrido nas instalações de uma fábrica têxtil na cidade de Nova York. Supostamente, esse incêndio teria sido intencional, causado pelo proprietário da fábrica, como forma de repressão extrema às greves e levantes das operárias, por isso teria trancado suas funcionárias na fábrica e ateado fogo nelas. Essa história, contudo, é falsa e, por isso, o 8 de março não está ligado a ela.

Existe, no entanto, outra história que remonta a um incêndio que de fato aconteceu em Nova York, no dia 25 de março de 1911. Esse incêndio aconteceu na Triangle Shirtwaist Company e vitimou 146 pessoas, 125 mulheres e 21 homens, sendo a maioria dos mortos judeus. Essa história é considerada um dos marcos para o estabelecimento do Dia das Mulheres.

As causas desse incêndio foram as péssimas instalações elétricas associadas à composição do solo e das repartições da fábrica e, também, à grande quantidade de tecido presente no recinto, o que serviu de combustível para o fogo. Além disso, alguns proprietários de fábricas da época, incluindo o da Triangle, trancavam seus funcionários na fábrica durante o expediente como forma de conter motins e greves. No momento em que a Triangle pegou fogo, as portas estavam trancadas.

Leia também: Feminicídio – homicídio contra mulher motivado, sobretudo, pela discriminação de gênero


GIRL POWER

Tenha empoderamento, seja o poder e a solução dos problemas que a sociedade impõe. Seja a mulher que não foge da guerra, que vence os seus desafios e que um dia conseguirá mostrar ao mundo o poder que toda mulher tem!

Mulheres, empoderar-se é também dizer não às coisas que o mundo julga natural, como uma cantada no meio da rua, um assovio desrespeitoso ou mensagens virtuais de cunho machista. Coisas que estão enraizadas em nossa cultura devem ser abolidas, mostrar que não é brincadeira e que não somos objetos. Somos mulheres, temos os nossos direitos – que devem ser iguais aos dos homens – e merecemos respeito!

Não cale a sua voz, mulher, pois é dela que ecoará o grito da liberdade, aquele que tornará todas as mulheres autossuficientes, com seus empregos pagos com salários dignos e igualitários aos dos homens, que não terá desrespeito por onde andar e como andar e ainda, dessa mesma boca, sairá um largo sorriso de vitória!